Visão, eu estava com saudade!

23:55:00

 Algum dia de agosto de 2012... Eu como estudante universitário e funcionário de uma empresa de engenharia, trabalhando 
com cálculos e projetos como um dia qualquer, até meus colegas de trabalho perguntarem porque estou aproximando tanto 
o rosto do monitor do meu computador da empresa. "que estranho... nunca percebi que fico com o rosto muito próximo do monitor."
-Você consegue ler isto?-aproximando razoavelmente do meu rosto e eu não enxergara o que estava escrito na capa da apostila de mecânica dos fluídos!
-Você tem que ir ao oftalmo para saber o que está acontecendo com sua visão cara.



E então lá vou eu no primeiro, eu disse PRIMEIRO oftalmologista. Feito apenas um exame, ele me disse que eu tinha uma doença que não tem cura 
e pouco sabe-se sobre a mesma, degenerativa mas sem conhecimento de onde ela viera. 
As palavras do primeiro médico:

-Não sabemos exatamente como ela surge, mas sabemos que ela não tem traços genéticos ou coisa do tipo...
Ceratocone trata-se de uma doença que afeta diretamente a córnea da pessoa, tornando-a pontuda, cada vez mais, e caso não tratada, pode deixar a pessoa cega, com a visão extremamente borrada e deformada.




Minha primeira reação foi ficar extremamente frustrado, pois eu esperava ouvir que fosse apenas um pouco de miopia, ou talvez astigmatismo, mas não. O nome da doença era ceratocone.
Muito curioso, olhei na internet para saber mais sobre. Vi que algumas instituições ao redor do globo já estavam com um foco grande na resolução desta.
Decidi ir em outro médico. E ele me disse o mesmo. Então fui em outro médico. E ele disse a mesma coisa. Tenho ceratocone.
Então decidi ir numa clínica especialista em olhos muito conceituada de São Paulo, e lá confirmaram que era ceratocone.
Confesso que fiquei muito frustrado mesmo, pois não sabia que tal coisa estava acontecendo comigo e eu nem percebia, eu estava ficando cego aos 19 anos.
A solução apresentada pela médica que estava cuidando do meu caso foi usar lentes de contato. Mas não de silicone, e sim rígidas, de acrílico. Durante seis meses aquilo foi uma tortura para mim. Era como colocar moedas 
de um real nos olhos. Eu consegui ver e enxergar perfeitamente mas ao custo do sofrimento de ter que usá-las todos os dias, até que me adaptei ao uso, usava-as até por 16 horas seguidas.
Mas por infelicidade, depois de seis meses de uso, as lentes que "freavam" a evolução da doença não conseguiam mais cumprir seu trabalho, e doía ainda mais. comuniquei a minha médica e ela disse que tínhamos que tentar 
o procedimento Pigback, que consiste em usar DUAS lentes em cada olho. Eu não aceitei! era absurdo e eu ficava cada vez mais desesperado, pois não sabia o que fazer.

Até que um outro colega de trabalho disse que ia fazer uma cirurgia num hospital fora de São Paulo, em Sorocaba e disse que o hospital de lá é referência internacional no assunto.

Sem ter o que perder, fui até lá e meu novo médico, olhou para mim e disse: Geovane, você está com ceratocone avançado, que consiste 
em uma curvatura da córnea que irá aumentar e muito, em seus dois olhos, e você tem 31% da sua visão. Precisaremos fazer um transplante.
-Tudo bem_ disse eu. a assistente me colocou na fila de transplantes na rede e eu fui pra casa. Mas no ônibus de volta pra casa eu comecei a pensar comigo mesmo: -espera... espera... transplante? Cara, eu vou fazer um transplante!! Isso significa que uma pessoa irá morrer, 
e eu vou reaproveitar a córnea dela, como se fôssemos robôs?!-Isso não saía da minha cabeça. 
dois dias antes da cirurgia, eu aprendi com isso tudo que nós, seres humanos somos muito cômodos à tudo. nos acostumamos em tudo. Mas não podemos ser assim. a vida é quem mais irá 
nos bater. o Destino é o que mais tem curvas. e Esta foi uma mudança na minha vida significativa para minha vida toda.
Uma mudança na qual ou eu mudava, ou eu mudava. 



-Não posso reclamar, não posso! Eu tenho uma solução para meu problema! Seria pior se eu não tivesse!-

Cara, tem tantas pessoas saudáveis com o corpo perfeito, que fazem cirurgias para ficarem "perfeitos" que fazem tantos tipos de cirurgias apenas por estética, que até fazem cirurgia para mudar a cor dos olhos, e eu aqui, precisando que alguém morra para e doar um olho novo! Como assim?
Porque? me pergunto, e pergunto a você. Quando se achar feio(a), gordo(a), magro(a), imperfeito, lembre-se que você é uma 
pessoa saudável, e só dará valor a seu organismo do jeito que ele é quando perceber que não tem mais aquele corpo 
saudável, então pense antes de reclamar de sua estética, Existem pessoas numa situação pior que a sua que não se preocupam nem em ser feios ou bonitos, mas sim em serem apenas saudáveis.

Então, fui para a cirurgia. Encarei de frente, não nego, eu estava com muito medo, pois nunca fiz um procedimento, 
e não sabia como agir. Depois da cirurgia senti muito os pontos no olho, era uma agunia sem fim, mas o que me confortava era 
saber que eu teria minha visão de volta. OBS: eu fiz primeiro o transplante doa córnea direita, e um ano após fiz o da esquerda.
Durante a recuperação eu tive que ficar no meu quarto por 15 dias sem ver a luz do Sol, pois qualquer luz afetaria em minha recuperação, então, no quarto, com as janelas fechadas, de óculos escuro, dia e noite.

Foi uma recuperação difícil, mas eu graças a Deus, tive as pessoas certas do meu lado que me apoiaram durante esse tempo.
Como me sinto usando partes de outras pessoas? cara, só acho incrível como nosso corpo aceita, quando precisa.

O que aprendi com isso tudo? aprendi que temos sempre, sempre que estar preparados para mudanças repentinas em nossa vida, temos que estar blindados, pois não sabemos o dia de amanhã.
Se eu não tivesse feito esse transplante eu estaria quase cego, caminhando para uma cegueira, dos dois olhos, um universitário de engenharia, aos 20 anos. 

Se não existisse a opção de transplante de córneas na medicina, e hoje eu estaria procurando um computador em braile e um cão-guia no mercado livre.

Mas não estou. Com muita garra e determinação, estou aqui, me recuperando do segundo transplante em casa, graças a Deus.
E quando eu morrer? vou assinar um tratado para minha família doar todos os meus órgãos que puderem, pois alguém lá fora estará precisando deles.

Nós acompanhe nas Redes Sociais 

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

10 Pessoas Comentaram ♥

  1. Sem duvidas tbm irei doar meus órgãos se isso for possível.. acho simplesmente uma perfeição um ato de amor e carinho como esse... beijinhos flor
    http://apaixonadapormakesenails.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Geeeeeente, que horror!
    Nunca tinha ouvido falar desta doença e confesso que estou apavorada, pois uso óculos desde 6 anos.
    Espero que isso não aconteça comigo e também não desejo para ninguém!
    Grande beijo,
    Gabrielle G. - Blog ABCD dos Livros
    http://abcddolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que história :\ .. Graças a Deus temos essas opções na medicina, imagino o choque na hora que descobre. Eu sempre fui a favor da doação de órgãos e já deixei todos avisados na minha familia que os meus serão doados!
    Lindo exemplo de luta!

    Beijos :*

    www.nathaliamattis.com

    ResponderExcluir
  4. Irei doar meus órgãos quando morrer :)
    Eu nunca li ou vi algo a respeito da ceratocone. Parabéns pelo post!
    A gente não sabe o dia de amanhã.

    Beijos :*

    http://mundoyoung.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. muito interessante este post, eu não sabia desta doenças, mas me leva a querer visitar um oftalmo mais vezes
    http://clubedabelezaemaquiagem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eita que história tensa o.O ai eu tenho tanto medo dessas doenças na visão =S
    Sobre a doação de órgãos, eu tbm pretendo doar qnd morrer, já avisei a todos e acho que todo mundo deveria doar tbm pq assim podemos salvar vidas não é mesmo :)

    bjo lindona'
    http://hiddlevanstan.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha ouvido falar dessa doença, eu tenho miopia e astigmatismo e foto sensível , mas essa é nossa, que bom q esta bem agora , parabéns ! Beijos da Mlle Beatriz ♥

    ResponderExcluir
  8. Eu sempre quis doar os meus órgãos, já era uma decisão minha, mas ler esse seu depoimento só me faz reforçar ainda mais essa decisão. Fico feliz que vc tenha conseguida, e espero que tenha uma ótima recuperação.
    lepetitblondie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Impressionante como sua história é EXATAMENTE igual a minha! Até mesmo a forma de pensar... sou transplantada desde julho de 2007. Descobri essa doença com 18 anos e tive que trancar minha faculdade. Fiz meu transplante em BH. Infelizmente o problema voltou. Provavelmente terei que fazer outro transplante. Mas Deus no controle sempre. Também vou ser doadora qdo morrer. Fique na paz e muita saúde... é o que desejo!

    ResponderExcluir
  10. Impressionante como sua história é EXATAMENTE igual a minha! Até mesmo a forma de pensar... sou transplantada desde julho de 2007. Descobri essa doença com 18 anos e tive que trancar minha faculdade. Fiz meu transplante em BH. Infelizmente o problema voltou. Provavelmente terei que fazer outro transplante. Mas Deus no controle sempre. Também vou ser doadora qdo morrer. Fique na paz e muita saúde... é o que desejo!

    ResponderExcluir